Direito Imobiliário é a vertente do Direito Civil que trata dos bens imóveis, dos direitos reais, de matérias correlatas e negócios jurídicos que visem à constituição, transferência, modificação ou renúncia de direitos reais sobre imóveis.

São direitos reais, entre outros, a propriedade, a superfície, as servidões, o usufruto, o uso, a habitação, o direito do promitente comprador do imóvel, o penhor, a hipoteca, a anticrese, a concessão de uso especial para fins de moradia, a concessão de direito real de uso e a laje.

São negócios imobiliários, entre outros, a compra e venda, a cessão de posse, a promessa de compra e venda, os ativos imobiliários (aquisição e desmobilização), a alienação fiduciária em garantia (de coisa imóvel), a troca ou permuta, a doação, a locação (residencial, não residencial e por temporada), o arrendamento rural, o arrendamento mercantil ou contrato de leasing (arrendamento mercantil), a locação built to suit (locação sob medida), o contrato de sale and leaseback (leasing de retorno ou venda cumulada com arrendamento mercantil), o contrato de self storage (locação para autoarmazenamento), a prática de flipping (compra, reabilitação e venda), a prática de land banking ou landbank (compra de terrenos para agregação, incorporação, venda ou outras transações), o contrato de engineering (engenharia, gestão de compras e construção), turn key epc (turn key engineering, purchase and construction ou obra pronta com engenharia, compra de materiais e execução), turn key epcm (turn key engineering, purchase and construction management ou obra pronta com engenharia, compra de materiais e gestão da construção executada por terceiros), a incorporação, a construção e a administração de obras, o loteamento, o financiamento imobiliário e a transferência de potencial construtivo.

São matérias de Direito Imobiliário, entre outras, a posse, a usucapião, a vizinhança, o condomínio (geral e especial), o loteamento (aberto e fechado), o fundo de investimento imobiliário (FII), a multipropriedade, o patrimônio de afetação, a propriedade resolúvel, o bem de família, a enfiteuse, o uso e a ocupação do solo urbano, o licenciamento, os limites da propriedade (urbana e rural), a legitimação de posse, a legitimação fundiária e a regularização fundiária (urbana e rural), o assentamento, a desapropriação, a ocupação administrativa, a requisição administrativa (de bens imóveis), o patrimônio cultural material (em relação aos bens imóveis), o tombamento e os projetos de infraestrutura (hidroelétricas, gasodutos, portos, parques eólicos, saneamento etc.).